sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Duda,

Um beija-flor passou por mim hoje e algo em sua cor me fez lembrar que tudo é tão lindo. Há tanta coisa que amo nesse mundo. Há tantos motivos para continuar. Mesmo que eu não saiba onde você está. Mesmo que as estações tenham mudado. Meu amor continua crescendo.

Acho que sou feliz. Porque as pessoas tendem a pensar que a Felicidade é estar pulando junto a sete ou mais amigos numa manhã de Sol e folga, mas eu penso que me basta o que tenho. Sou feliz assim. Há algo de grande e misterioso nas palavras e nas imagens que me completa quando começo a desconfiar das coisas.

Duda, gosto muito de te escrever. São raros momentos em que me sinto tão compreendido. E em cada carta, coloco toda a minha sinceridade e todo o meu coração. Mesmo que sejam cartas para ninguém. Mas sei que você preza pela brevidade das palavras e eternidade das sensações. Prezava, ao menos. Por isso, já me despeço. Com duas saudações.

Uma a você,

E outra à vida, que nos trouxe a esse teatro de improbabilidades.

Salve!

Com amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Rebusque sua opinião.