segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Meios-nós


Metade de nós está aqui,
Outra metade sempre esteve.

Vinham descendo ladeira abaixo, meias-árvores charmosas. O verde novo, de novembro, escuro e trágico. O capim combinando. Pedras pretas, do trilho do trem. Madeiras marrons, de troncos, tábuas e postes. O calçadão, cada vez mais largo pra tanta pouca gente.

À frente, no topo da ladeira, um banco de concreto confortável. Uma agradável arvorezinha mal-cheirosa e chorona, ao mesmo tempo em que se debruçava sobre o banco, fornecia uma sombra fluente, contra os fracos raios de sol. Sentando no banco, um velho negro, vestido com trapos, de cabelos brancos e pés descalços. Ao seu redor, a fumaça do cachimbo do tempo, irradiando lembranças difusas. A morte, na esquina, estacionada.

No alto, quanto mais próximas as nuvens do astro-réu, maior a condenação ao vermelho-alaranjado. E o céu tinha de estar azul, daquele jeito, para fortalecer aquele contraste tão conveniente. O relevo horizontal remetia às montanhas norueguesas que nunca visitamos...

Na rua, buraco. Agora não, agora sim, mais outro não, mais outro sim... Na face, um sopro leve. Mais tarde, um vendaval. E a marcha da vida mudando a cada instante. Só saindo de primeira.

Ali debaixo, no topo da ladeira, via-se um morro acima. Não um morro de saudades ou de amor, mas um morro de beleza. Sem fumaças de cachimbos do tempo, que a morte só sobe ladeiras, e não morros. Ela não morre.

Morro de verde e não de mortalha. Capim, alecrim dourado. Tortuosas esculturas do cerrado, cupins engenheiros. Atmosfera química mente pura, matemática mente equacionada.

Deixando para traz, terras, trilhos, tábuas, tudos e lestes. Lá também ficam as meias-árvores.


P.S.: Eis o fim - temporário ou não.
Próximos passos:
1. vestibulares.
2. aprender a me virar.
3. escrever outro livro.
4. me mudar.
5. voltar a blogar?

Até lá, estou sempre no twitter:
http://www.twitter.com/venichu
Como diria o sábio Chapolin,
sigam-me os bons.

2 comentários:

Lucas Moratelli disse...

Você e suas narrativas tão cheias de vida.


Faz tempo que não vinha aqui, e quando venho leio que vai parar. Que droga!

Enfim, tô te seguindo lá no twitter.

Abraço Vinícius.

Lê Stabiili disse...

Muito bacana o texto...

Me expandi em suas palavras..Gostei mesmoo



Abração e um ótimo final de semana pra ti..


Visite: http://stabilli.blogspot.com

Postar um comentário

Rebusque sua opinião.