domingo, 15 de março de 2009

A Cláusula dos Nossos Dias

"Pois o trem está chegando, tá chegando na estação
É o trem das sete horas, é o último do sertão, do sertão.
"
Raul Seixas

Caros humanos, que bela História deixamos. Tantas descobertas, tanta organização, tamanha evolução. A mente aberta para admitir a mudança de regime. Por várias vezes. A generosidade de abrir mão do poder em favorecimento dos nossos irmãos... A paz contínua e inabalável!

Apesar de tamanha beleza, os antigos foram cruéis. Traçaram para nós não um Futuro incerto, mas trágico. Predisseram que o sertão viraria mar e o mar viraria sertão. E anos após, que em meio a estrelas, trombetas e arcanjos, haveria de chegar o fim do mundo, tão certo quanto nossas ambições.

O fato é que, para muitos, já veio o trem das sete horas. Que talvez não seja o fim, mas um recomeço. De certo que tais passageiros já nos aguardam na outra estação. Ou quem sabe aguardem algo muito maior do que nós. Pois, por mais incrível que pareça, há de existir algo maior do que nós. Quem sabe o apocalipse que há de vir em dois mil e doze.

Dois mil e tanto que seja, como os Maias predisseram. Mil e novecentos, como quisera Antônio Conselheiro. Ou nunca, como humilde e desesperadamente desejamos todos nós, apesar de sabermos que não há nada a fazer. Tudo estava milimetricamente traçado...

Atemporalidades sublimes evocam um destino comum. Espacialidades vulgares relembram um pretérito glorioso. As sombras que os cobrem talvez sejam ilusão. Não de ótica, mas de tato. De olfato, talvez. Afinal, sobraram tantos mares inavegáveis e nenhum minuto perdido.

No entanto, em detrimento da discordância de datas, quanto ao fato os antigos é que estavam certos: o mundo acabou na virada do milênio, no fim do vigésimo século da Era Comum. E nós não existimos desde então.

P.S.: Cláusula, aqui, não está no sentido que lhe dão os dicionários, nem o Direito, mas no sentido inefável que certamente entendeste, lendo.

14 comentários:

Marcelo A. disse...

"A mil chegarás, de dois mil não passarás..."

Seu texto me fez lembrar dessa frase, que muita gente por aí põe na boca de Jesus Cristo, e eu, lendo a Bíblia, nunca encontrei em lugar algum... Rsrsrs!

Essa história de fim de mundo, de certa forma, sempre mexeu com as pessoas. São tantos números, tantas datas, tantos desfechos possíveis. Lembro da última vez, em 99, virou piada até pro Casseta e Planeta...

Enfim: vai ver que você é que tá com a razão. De repente, o mundo já acabou e estamos aqui, alheios a tudo. Ou então, fazemos parte de uma raça eleita, vivendo num universo paralelo...

Abraço e bom domingo!

Lu Paes disse...

Oi, Vinicíus!
Texto lindo, lindo!
Olha, eu acho que o futuro ninguém diz, ninguém sabe. Se estava tudo escrito ou não - nem quero saber. Mas gosto muito da ideia de tudo estar acontecendo agora: passado, presente e futuro, tudo ao mesmo tempo nesse único segundo que se repete inváriavelmente, mas que também já passou e ainda vai passar. Confuso, mas divertido para se pensar.
No meio grupo de teatro, a parte leitora da super interessante ao menos, chegamos à conclusão de que o mundo não passa da noite de 19 de julho desse ano. É a noite em que a Lua será bombardeada - recomendo procurar no google, já que é um assunto relativamente extenso. O que é certeza é que, como já é até clichê de tão óbvio, devemos aproveitar cada segundo. mas isso não é fácil...
Nossa, tem tantos livros que me vem na cabeça agora! Um melhor que o outro...

Mas..interrompendo o assunto pelo qual eu já comecei a me deixar levar...Eu já fui aeromoça em tempo integral, agora só faço viagens curtas e de tempos em tempos. Ás vezes até esqueço de afivelar os cintos;

Beijos da Lu Paes!

Rhaay disse...

Adoreeii o texto ! ;) Se vivermoos em funçãoo de tantaas 'pseudo-previsões' acabamoos de fatoo por inexistiir .. Creioo qe indiscutível é a importância da Históriaa, contudoo não podemoos permitiir qe a noossa própria históriaa sejaa prescrita em documentos obsoletoos ... Logoo, carpe diem ! ;D

Lu Paes disse...

Ah, depois eu me esqueço: adorei o 'ps.:' com toque de Machado de Assis.

;*

Bruno Abreu disse...

É... seus textos frequentemente insistem em me fazer lembrar de Machado de Assis, e agora vc deu pra inventar significados de palavras... hehehe

Muito bom. Aliás, o tema do seu texto dialoga com uma "tirada" do machado, em Dom Casmurro: "Prazos longos são fáceis de subscrever: a imaginação os faz infinitos".

Talvez seja melhor viver como se o mundo já tivesse acabado mesmo.

Lucas Moratelli disse...

Talvez o apocalipse tenha sido criado simplesmente para motivar a vida nos seus melhores sentidos.

O ser humano, às vezes, atropela as metáforas e vai com tudo no sentido literal das coisas. As religiões cristãs que o digam.

_
O fim do mundo literalmente é complexo demais. Eu não creio no fim proposto pela bíblia, tão menos na previsão da data certa para tal.

As coisas já estão acontecendo.
_
Pessoas morrem todos os dias, seus mundos acabam junto com elas.
_

Ótimo texto Vinícius.

Abraço.

Pedro Antônio disse...

Pô, cara!

Você não sabe o toque que você me deu! Suas palavras me fizeram pensar muito sobre algumas decisões. Gostei demais do seu comentário. Eu precisa ler aquilo. Valeu!

Seu texto tá ótimo! Adoro o Raul!

Abração forte. Te espero lá de novo. Até.

Pedro Antônio - A TORRE MÁGICA - www.atorremagica.blogspot.com

Mauro Oliveira disse...

O trem das sete talvez não chegará, o fim talvez já passou e esqueceram de nós. Somos formigas sobrevivendo como migalhas de pão.
Somos o fim de tudo, e o começo do apocalipse.
Belo texto o seu!!!

BóRiO...Que segue! disse...

Tocou em Raul...Tocou comigo!^^

Ótimo texto cara..Principalmente exibindo as várias revelações de fins de mundo..São várias,e uma delas vai se cumprir,não por ser uma real revelação,por pura probabilidade! :P

Deixamos histórias incriveis,mas lembremos que quem vive tais histórias ás vezes queriam apenas ouvi-la ,e nunca vive-la!

AbraçoW!

Lari. disse...

Acho que os momentos mais bonitos da História são os de transição. Sempre houve uma mente brilhante, sempre um alguém corajoso o bastante para lutar por novas idéias. E dessa coragem de uns, surgiram as mudanças que fizeram o mundo caminhar.
É claro, nós percebemos essas mudanças porque podemos olhar para trás com uma certa clareza. Hoje, eu espero por uns outros vários corajosos que nos ajudem a mudar a História. Talvez eles já existam, é brem provável que existam e que estejam tentando algo para serem notados e seguidos. Entretanto, esse é um tempo que nos pertence, é difícil olhar para trás e assimilhar nossas próprias mudanças.

=D

kilder disse...

legal o seu texto!!!! essa frase do raul seixas é sempre certa!!!!

http://comumente-kilder.blogspot.com

Fabioc disse...

Essas previsões de fim do mundo me cansam um pouco. Pobres Maias. O homem branco já destruiu sua civilização moderna, pisou nos seus costumes, violou suas regras e fez sangrar suas mulheres e crianças sem dó. Agora, distorcem o que foi dito, por puro prazer de distorcer as coisas...para quem sabe produzir um filme em Hollywood...capitalismo...esse sim é o fim do mundo

Jaya disse...

É bem aquilo que Raul propôs, Vinícius. Que o céu do hoje, já não é o mesmo de amanhã. E o de ontem, choveu o que é fruta, hoje. Ou aquilo que já nem germina, mais.

Penso que teu contexto se encaixa nisso.

E o fim já nem é. Já foi. Ou vai. Depende da estação. Do trem que se espera. De que lado da montanha se escolhe estar.

Eu fico aqui.

Beijo.

Caroline disse...

Vinicius, estou sentindo um toque de saudosismo nos seus posts, maravilhosos por sinal mas saudosistas. bj


http://messnatural.blogspot.com/

Postar um comentário

Rebusque sua opinião.